Pages

quinta-feira, 1 de abril de 2010

A magia dos bancos de praça



Já era noite. Eu,minha irmã e minha prima fomos à praça que fica em frente a casa da minha avó.. Eu sentei em um banco de madeira amarelo e pernas vermelhas já enferrujadas junto ao meu livro de redação-mesmo sendo carnaval tinha que estudar- Minha irmã e minha prima sentaram em outro banco, esse era de madeira vermelha e pernas amarelas já também enferrujado.Não tinha sentido a prefeitura investir em algo que agradava a minoria da população.
Com a nossa presença a praça parecia ter mais sentido.. não estava mais vazia.
Poucas pessoas nos tempos de agora, preferiam ir a praça namorar e olhar as estrelas do que ficar no computador olhando o orkut de outro(a) que considerava atraente. Bem, estávamos lá..Eu estudando, as meninas soltando bolhas de sabão, um casal de namorados, e quatro idosos jogando dominó..
Acabei de ler o capítulo que ensinava a fazer uma crônica e observei aquele espaço por inteiro.A noite estava perfeita, o céu estrelado, um frio aconchegante, bancos de praça e postes de lâmpadas amarelas, o vidro já sujo refletia um luz fosca. Pensei, como a praça podia estar tão fazia? Como ninguém se sentia atraído por aquele lugar cercado de plantas, flores lindas? .. é perfeito! As pessoas talvez estivessem esquecido.
Quantos namorados, casais apaixonados compartilharam do mesmo banco de praça? quantas histórias de amor começaram de lá? sentar ao lado de uma pessoa e começar a conversar numa noite estrelada, me parece bem mais atraente do que adicionar no orkut e depois pedir o msn. Naquele dia,eu pensei na função dos bancos de praça.
Aquele simples objeto enferrujado abrigava pessoas sem casa, servia de cama, servia de inspiração, servia para deixar casais ainda mais apaixonados, mais próximos. Aquela luz fosca, aquele escuro alegre me fez refletir em amor eterno.. como que nos tempos de hoje, em que o amor nasce de uma tela podia render um casamento...Eu gosto de coisas mais reais, coisas maiores.
Ficaria ali naquele banco encantado, esperando o amor da minha vida.. que sentaria ali também por acaso.. por vontade, para estudar redação.. Dali surgiria um romance, seria eterno, real, mágico, como um banco de praça.

Um comentário:

saudeecompanhia disse...

Infelizmente nos dias de hoje os bancos de praça ficaram perigosos sobretudo á noite,podemos ser assaltados dependendo do horário e fora que muitos bancos estão destruídos e não tem nem como sentar.
Sucesso com o blog!